Menu de páginas
RssFacebook
Menu categorias

Postado por em 14/07/2016 em Postagens | 0 comentários

Você conhece o seu valor?

Por existir várias pessoas ao seu redor, há o pensamento de que algumas delas não fazem muita falta se não existissem. O que é uma grande mentira da vida, pois muitas vezes quando uma pessoa morre, todo mundo que vivia ao seu redor começa a sentir muita falta dela. Familiares, amigos e até mesmo conhecidos que apenas se encontravam ocasionalmente sentem saudades dessa pessoa. A falta que elas passam é bem evidente ao notar a diferença que uma pessoa pode fazer na vida delas. Por isso, vamos conversar melhor sobre o nosso valor.

Você conhece seu valor

A importância da autoestima

À primeira vista isso soa muito como aquelas mensagens de PowerPoint que eram enviadas constantemente pelas nossas tias, mas se formos pensar direito, uma pessoa pode até dar valor a alguma coisa que pode ser trocada por dinheiro como, por exemplo, talento e beleza.

Contudo, todas essas coisas possuem um único agravante: não duram para sempre, especialmente a beleza, que um dia pode acabar. Porém, são as que mais são levadas em conta para julgar uma pessoa, por mais horrível que seja a realidade.

Nesse momento você deve estar se perguntando: “Mas como posso saber qual é o meu real valor se nada que eu tenho chama a atenção das pessoas? Se tentar fazer algo para atraí-las, posso ser chamado injustamente de carente de atenção!”.

Calma, meu caro leitor. Não queremos que você aja como uma pessoa carente de atenção, especialmente se você realmente precisa de algum conforto.

 

Bom uso da palavra

O que realmente acontece é que, muitas vezes, as pessoas acabam sendo julgadas erroneamente, especialmente por causa da avaliação dos outros nos quesitos de beleza, talento ou até mesmo de quantia de dinheiro guardado na poupança. Isso leva a um julgamento injusto das pessoas, mesmo que não seja feito de forma intencional.

Mas por outro lado, muitas coisas que sentimos de uma pessoa para outra podem ser bem mais do que podem revelar sobre si mesmas. Como a forma atenciosa que uma pessoa fala com a outra, o conforto que alguém dá para uma pessoa triste ou até mesmo o sujeito que gosta de alegrar o local, não importando o quão triste uma pessoa esteja. Esse é o valor real que as pessoas possuem.

Por exemplo, quando você quer tentar entrar no mundo do empreendimento, a primeira coisa que deve ser preparada para que seu negócio se expanda e se torne um sucesso é saber como se aproximar dos clientes. Negócios em que os donos são mais alegres, gostam de atender aos pedidos das pessoas, além de conhecer melhor os outros estabelecimentos, possuem uma grande chance de suceder; ao contrário dos proprietários que não sabem como conhecer melhor as necessidades e os desejos dos clientes e que não conhecem outras pessoas de áreas idênticas ou semelhantes que podem ajudar no seu negócio.

Ou seja, o valor real da pessoa nesse caso é avaliado pela capacidade de se aproximar das pessoas e vender o seu produto da forma mais simpática possível. Os melhores estabelecimentos comerciais sempre têm funcionários que atendem os clientes de maneira muito educada e de bom humor, não se importando muito com a situação pessoal que estão sofrendo no momento do trabalho.

Aproveite a vida

Embora tenhamos várias diferenças, ninguém terá vida infinita, pois a vida de todos possui início, meio e fim. Algumas vezes esse fim chega mais cedo para algumas pessoas, e é por isso que é nesse momento que você também nota o valor real que alguém pode ter para os outros. Muitas vezes esse valor não é capaz de ser adquirido com dinheiro, por isso, você deve sempre lembrar que o verdadeiro valor das pessoas não é feito para ser tomado, mas sim vivenciado. Pois só assim você lembrará no valor real que os outros possuem, inclusive de você mesmo.

 

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *