Menu de páginas
RssFacebook
Menu categorias

Postado por em 14/07/2016 em Postagens | 0 comentários

A importância do autoconhecimento

Uma das coisas mais importantes que uma pessoa necessita ter é uma boa autoestima e o mínimo de segurança em si mesmo. Mesmo com todos os problemas que o mundo e o sistema nos trazem, como uma competição exacerbada e doentia entre nós mesmos, você precisa se manter firme e confiar no próprio taco para continuar saudável. Mas por que algumas pessoas simplesmente não conseguem manter o controle emocional e entram em desespero quando alguma coisa acontece?

A importância do autoconhecimento

Afinal de contas, você se conhece o suficiente para afirmar que nunca cairia em um descontrole emocional, seja por ansiedade, depressão ou até mesmo medo? A grande maioria das pessoas dizem com toda a certeza que se conhecem, que sabem quais são os seus limites. Consequentemente, confiam em si mesmos. Você confiaria em uma pessoa que você ama muito, mas que pouco conhece?

É hora de se olhar no espelho e realmente perguntar se você sabe quem é aquela pessoa no reflexo. Saiba que, muito provavelmente, você pode se amar muito – e se conhecer pouco. Isso pode ser confirmado nas respostas para as seguintes perguntas: você acredita na sua capacidade? Você corre atrás dos seus sonhos porque sabe que tem plena capacidade para alcançá-los? Se a resposta for não, então chegou a hora de você parar de querer conhecer novas pessoas e passar a conhecer a si mesmo. Tenha em foque o autoconhecimento para melhorar a sua vida e o ambiente ao seu redor.

Autoconhecimento não é você saber qual o seu tipo de pele ou cabelo e buscar uma solução para deixá-los “mais bonitos”, tampouco comprar roupas para definir melhor o seu “estilo” – todas essas coisas são externas a você, são a sua casca, e não o miolo. O trem deve partir de dentro e seguir para fora. Uma pessoa que está de bem consigo mesma não precisa exibir o novo corte de cabelo, a nova peça de roupa, o novo carro ou o novo emprego que conseguiu pisando em outras pessoas. Você sente e percebe isso na energia que essa pessoa lhe passa quando conversa com ela: ela tem um brilho nos olhos, um sorriso calmo e seguro, não alimenta neuroses e paranoias. Ela sabe quem é.

A primeira coisa a se fazer é dormir melhor; afinal de contas, como você vai se sentir bem consigo mesmo e com o mundo se você não consegue descansar? Como você vai amar a si mesmo se não consegue parar de se culpar, se criticar, se acusar? O perfeccionismo, a insegurança, a ansiedade e o sentimento de não se enquadrar com o restante do mundo são sintomas claros de que sua autoestima está baixa e, portanto, o seu autoconhecimento é pouco.

São todos esses sentimentos ruins e essas angústias que a busca pelo autoconhecimento pode curar. Para ajudá-lo a exercitar melhor o autoconhecimento, você pode fazer a seguinte atividades: escreva até 10 coisas em você mesmo que lhe agradam, e depois faça o contrário, escrevendo 10 coisas que você detesta sobre você. Responda à pergunta: qual foi a lista mais fácil de escrever e completar? Provavelmente a segunda, certo? Nós crescemos com o medo de acabar por nos exibir demais para as outras pessoas por puro egocentrismo quando nos elogiamos demais. Longe disso! Para se autoconhecer é necessário saber quais são os pontos da sua própria pessoa que mais lhe agradam, sem medo nenhum de mostrar isso para o mundo. Se você não gostar de suas próprias qualidades, quem irá?

Para alcançar o autoconhecimento, você precisa estar ciente de quem você é de verdade, no mundo real e não no que está dentro da sua cabeça cheia de medos. Avaliar os pontos positivos e exaltá-los, ao mesmo tempo em que analisa os negativos e procura amenizá-los ou resolvê-los é um exercício que você precisa fazer todos os dias, mesmo quando estiver de bem consigo mesmo. O que importa é evoluir o seu estado de espírito e saber quem você é.

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *