Menu de páginas
RssFacebook
Menu categorias

Postado por em 14/07/2016 em Postagens | 0 comentários

A importância da gratidão

Quando se pensa na palavra gratidão é comum vir a nossa mente situações e atitudes boas e positivas e, na maioria das vezes, nos sentimos gratos por isso, como o nascimento de uma criança, uma conquista na área profissional, na vida amorosa, a cura de uma doença e até pelos momentos felizes que passamos com as pessoas que gostamos.

Mas, e quando as coisas não saem da forma que esperamos? Frustramo-nos e desejamos e fazemos de tudo para nos desvencilhar. Tentamos mudar a situação a qualquer custo, essa é uma atitude natural de todo ser humano.

E de que modo podemos fazer isso? Cultivando a gratidão como exercício diário. Sejamos gratos por tudo que nos faz evoluir, tanto moralmente quanto intelectualmente, pelas pessoas que nos ajudam a ser cada vez melhor e por outras tantas que passaram pela nossa vida e nos machucaram e nos desestabilizaram. Elas sim, melhor do que ninguém nos fazem entender quão importante é o valor da ser gratidão, porque é por meio dos nossos tropeços, das nossas recaídas, que podemos ver o quanto levantamos mais fortes e, de fato, entender a situação vivida como forma de aprendizado.

A importância da gratidão

Pollyana, como podemos aprender com ela?

Um exemplo bem simples e valioso que pode ilustrar a importância  da gratidão é o livro Pollyana, um clássico infantil, escrito por Eleanor H. Porter. Ele se tornou uma referência na literatura infanto-juvenil e desperta encanto também nos adultos.

Comecemos com a história de Pollyana, uma menina  de11 anos de idade que vivia com os pais, até os perder em um acidente. Ela foi morar com a sua tia, Poli, muito rígida com tudo, não tinha um pingo de paciência com a menina. Porém, Pollyana tinha uma forma inusitada e até divertida de lidar com as frustrações: quando menor, aprendeu com o seu pai o “jogo do contente”, que consistia em ver o lado positivo de tudo, absolutamente tudo. Isso, de certa forma, intrigava a tia, pois Pollyana era grata por tudo, até pela bronca que recebia e – às vezes sem motivo. Essa forma grata e divertida de Pollyana levar as situações modificou tanto ela como todos a sua volta.

Mas, que conclusão podemos tirar da história de Pollyana?

Que podemos aprender com cada situação que é posta na nossa vida, se mudarmos o ângulo que olhamos para ela. Ver as mudanças, as tristezas, os tropeços com gratidão é uma forma de aprendizado. De que adianta ficarmos reclamando e nós paralisarmos diante de uma situação ruim? Nós somos o que somos hoje, pensamos da forma que pensamos e temos o que temos, pois superamos as muitas rasteiras que a vida nos deu e tiramos como aprendizado cada derrapada.

Quando nós movimentamos, o universo conspira a nosso favor e põe a vida em movimento, mas, se não fizermos nada, nada acontece. É preciso ter ação para mudar a situação atual, parar para refletir e transformar essa reflexão em mudança. É dessa forma que gratidão se manifesta, quando tomamos outro rumo, o rumo da mudança de pensamento e de sentimento, começamos a transformar o nosso interior, e mudar a forma como vemos e encaramos os acontecimentos do fluxo inevitável da vida e passamos a tomar a gratidão como valioso aprendizado para o nosso crescimento. Quando tomamos a consciência do que é ter gratidão por tudo o que nos rodeia, com certeza estaremos contribuindo para a melhora do “PLANETA”, pois com essa atitude emanamos energia positiva. As situações boas ou ruins que passamos, fazem parte da vida, contribuindo para o nosso amadurecimento emocional.  Sejamos gratos!

Deixe seu comentário abaixo, é importante para mantermos a qualidade. Continue acompanhando o blog. Até breve!

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *